Home / Notícias / Pais reagem à imposição de gênero nas escolas – breve relato de um caso concreto

Pais reagem à imposição de gênero nas escolas – breve relato de um caso concreto

Tornamos público hoje o ocorrido com um pai de uma cidade do interior de São Paulo. Caso você também se encontre numa situação parecida – seus direitos de pai e mãe sendo violados pela escola de seus filhos – por favor, entre em contato conosco.

 

 

O ano de 2015 presenciou um momento único na história recente de nosso país: em praticamente todos os municípios, famílias acorreram às Câmaras Municipais a fim de defender seus direitos juntos aos Vereadores, exigindo que os planos de Educação – então sendo votados – respeitassem seus valores e um dos mais básicos pressupostos da Educação: ensinar a verdade para os alunos e, para tanto, retirassem a nefasta ideologia de gênero dos princípios que norteariam a Educação em seus municípios.

 

Passados alguns meses desta verdadeira guerra travada entre os pais e os ideólogos pelo controle da educação de toda uma geração, eis que os mesmos pais se deparam agora com um flagrante desrespeito por parte do poder público, que através sobretudo de  materiais didáticos, diretores de escola e professores militantes em sala de aula, tem insistido em ignorar a vontade de toda uma Nação e  inserir a ideologia de gênero nas práticas educacionais presentes em nossas escolas.

 

Os pais, no entanto, não se deram por vencidos e resolveram contestar o posicionamento – muitas vezes implícito, por uma questão estratégica – dos envolvidos com as decisões tomadas pelas Secretarias de Educação e com a atuação de professores em sala de aula que contrariam as diretrizes dos planos votados. Para ilustrar este movimento, gostaríamos de tornar público o caso ocorrido em Araraquara, cidade do interior de São Paulo. Após saber que a professora de seu filho de 5 anos de idade trabalharia temas ligados à diversidade sexual em sala de aula (tal informação foi repassada aos pais durante uma reunião escolar), o pai entrou em contato com a Rede Nacional de Direito e Defesa da Família e pediu para que acompanhássemos tal situação. Após este primeiro contato foi marcada uma reunião entre os responsáveis públicos, os pais e nossos advogados e especialistas em Educação, para que pudéssemos esclarecer o ocorrido. Depois da reunião, nos foi assegurado que a temática de diversidade sexual, ideologia de gênero e orientação sexual – temas, inclusive, que não constam do Plano Municipal de Educação da cidade – não farão parte das atividades educacionais desenvolvidas nas escolas.

O que relatamos acima é somente um de inúmeros casos que tem chegado semanalmente a nós através de denúncias feitas por pais do Brasil inteiro. Diante desta realidade, sentimos a necessidade de propor um instrumento jurídico mais eficaz que garanta, de uma vez por todas, que a ideologia de gênero não será inserida na educação de nossos filhos. Para tanto gostaríamos de formular um projeto de lei que tenha como objetivo banir, de uma vez por todas, a abordagem a partir da perspectiva de gênero na Educação.

 

Para que nossa iniciativa gere os frutos esperados, precisamos do apoio de todos os pais que se preocupam com a educação de seus filhos e que entendem que é seu direito enquanto pais e cidadãos exigir dos poderes públicos que respeitem seus valores na área educacional. Pedimos, portanto, que estejam atentos aos nossos próximos textos e campanhas, que terão como objeto mais esta empreitada para fortalecer as famílias brasileiras.

3 Comentários

  1. Cristina Maria Ribeiro

    Graças à Deus por pessoas como vcs que querem o bem, buscam o bem e fazem o bem
    Que Deus e Nossa Senhora os abençoem É os guardem por estas iniciativas que levam a fazer o reino de Deus acontecer. Não estamos sós. Deus está conosco. Contem comigo tb.

  2. Muito bom contar com mais esse instrumento na defesa de nossos filhos. Na época fui até a Câmara municipal de minha cidade, na escola e falei com muitos professores. Como aqui a cidade é pequena, pude notar que a maioria dos profissionais é contra a ideologia do gênero e que ao contrário, querem que o sentido de família seja melhor difundido. Vocês conhecem a Teologia do Corpo? Poderiam conhecer melhor, inclusive para englobar alguns fundamentos nesse projeto de.lei em andamento. Estarei sempre atenta. Obrigada!

  3. É lamentável o ponto que chegamos, tanto coisa para se preocupar com este Brasil e ter que ficar debatendo e perdendo tempo indo atrás de um assunto que já deveria ter deixado de existir com tanta reprovação, porém estes mal caráter não desistem de acabar com a família brasileira!
    Que a escola ensine o seu foco que é agregar conhecimento e inteligência e deixa os pais ensinar o caráter e personalidade de cada criança!
    Sem Mais

    Att.
    Vanessa Nunes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *